Pular para o conteúdo

Cultura à Milanesa

“Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho”, nova produção da TvZero, participa do Festival de Tiradentes nessa sexta-feira (27)

Nos preparativos finais antes da estreia, “Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho” entra na programação da 26a Mostra de Cinema de Tiradentes no dia 27 de janeiro (sexta-feira), às 21h30, no Cine-Praça. O documentário vai concorrer ao Júri Popular pela Mostra Praça. 

Estarão presentes o diretor Pedro Bronz, o produtor Leonardo Ribeiro e Luana Carvalho, filha de Beth e produtora associada do filme. Além da direção, Bronz também assina o roteiro, ao lado de Leonardo Bruno – jornalista, escritor e autor de diversos livros sobre a história do samba, incluindo seu último lançamento, “Beth Carvalho: De pé no chão” (Editora Cobogó). Produzido e distribuído pela TvZero, em coprodução com a Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil, o documentário sobre a madrinha do samba chega aos cinemas no dia 2 de fevereiro.

Andança_crédito_ Ivan_Klingen

“Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho” teve sua primeira exibição em outubro do ano passado, no Festival do Rio, em uma sessão seguida da roda de Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador. Depois de lotar o Cine Odeon, o longa também foi selecionado para a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e conquistou o prêmio de Melhor Filme pelo júri popular no 17º Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro (João Pessoa, PB). Já esse mês, no dia 18 de janeiro, o filme também participou de um evento comemorativo para o aniversário do Cacique de Ramos. O berço do samba virou cinema por um dia em uma “pré-estreia afetiva”. Ao final da sessão, a equipe e os convidados se reuniram em torno de uma roda de samba que relembrava os sucessos de Beth.

Andança_crédito_ Ivan_Klingen

Sinopse   

Beth Carvalho, a “Madrinha do Samba”, foi uma das maiores sambistas do Brasil, ajudou a revelar grandes nomes e a revitalizar o gênero musical. Seus outros talentos e sua sensível capacidade de percepção da realidade que a cercava fez com que ela própria documentasse os ilustres encontros ao longo dos 53 anos de palcos e pagode. As imagens do documentário são parte desse vasto acervo nas mais diferentes mídias: super-8, vh-s, mini-dv, k7 e fotos.  O filme se debruça sobre esse material de Beth Carvalho para traçar um recorte único, íntimo da carreira e da vida dessa singular figura da cultura nacional. 

Veja o trailer:

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=29mHyWFNhCU[/embedyt]

 

Andança_crédito_ Ivan_Klingen

Ficha técnica 

Direção e Montagem: Pedro Bronz  

Produção: Roberto Berliner e Leo Ribeiro  

Produção Executiva: Leo Ribeiro, Sabrina Garcia e Anna Julia Werneck 

Roteiro: Pedro Bronz e Leonardo Bruno  

Coordenação Executiva: Fernanda Calábria 

Coordenação de Pós-produção: Nat Mizher e Cel Mattos

Mixagem: Denilson Campos 

Coloristas: Hebert Marmo e Anuar Marmo 

Assistente de Edição: Mel Cunha 

Produção: TvZero   

Coprodução: Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil

Distribuição: TvZero

Produtora associada: Cineclube Pela Madrugada e Luana Carvalho 

Patrocínio: Antarctica 

Incentivo: Governo do Estado do Rio de Janeiro/ Secretaria de Cultura e Economia Criativa 

Classificação: Livre

Conheça os envolvidos! 

Pedro Bronz – Direção e Roteiro   

Diretor e montador de cinema e TV, trabalha com audiovisual desde 1993 passando por todas as fases de realização de um filme: montador, produtor, fotógrafo, roteirista e diretor. Começou sua carreira como assistente de edição de importantes montadores e fez parte da primeira geração de operadores de AVID em 1995. Posteriormente, começou a editar e dirigir, buscando sempre trabalhar com diferentes linguagens e em diversas produtoras de vídeo e emissoras de TV. Tem experiência com filmes de ficção, documentários, programas de tv, videoclipes, comerciais e institucionais. 

diretor_Pedro Bronz

Leonardo Bruno – Roteiro    

Leonardo Bruno é jornalista, escritor e roteirista. É autor de seis livros, entre eles “Canto de rainhas” (2021), “Zeca Pagodinho — Deixa o samba me levar” (2014), “Explode, coração — Histórias do Salgueiro” (2013), “Cartas para Noel — Histórias da Vila Isabel” (2015) e “Três poetas do samba-enredo” (2021). Seu último lançamento, “Beth Carvalho: De pé no chão”, faz parte da coleção “O Livro do Disco”, da Editora Cobogó. Na TV, assinou direção e roteiro da série documental “O samba me criou”. É jurado do prêmio Estandarte de Ouro e comentarista de carnaval da TV Globo.

Andança_Divulgação_5

TvZERO – Produção e distribuição    

A TvZERO foi fundada em 1991 com objetivo de contar histórias de relevância artística, social e cultural, através de projetos audiovisuais, apostando na renovação da linguagem audiovisual, na qualidade técnica e no sucesso comercial. Tudo isso num ambiente de trabalho solidário, inspirador e comprometido com o bem-estar de seus colaboradores.    

Ao longo dos seus 30 anos de atividade, produziu 30 longas-metragens, dos quais se destacam “Benzinho” (2018), com première em Sundance e grande vencedor no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro; “Gabriel e a Montanha” (2017), vencedor de dois prêmios na Semana da Crítica no Festival de Cannes; “Nise – O Coração da Loucura” (2015), vencedor do prêmio de Melhor Filme e Melhor Atriz no Festival Internacional de Cinema de Tóquio; “Bruna Surfistinha” (2012); os documentários “Meu Nome é Daniel” (2019), com première no IDFA; “Os Quatro Paralamas” (2020); “A Farra do Circo” (2014), “Simonal – Ninguém Sabe o Duro que Dei” (2008) e “A Pessoa é para o que nasce” (2005). Juntos, levaram mais de 2,7 milhões de espectadores aos cinemas só no Brasil, tendo sido comercializados para vários países e com exibições em mais de 200 festivais, onde acumulam vários prêmios.  

Beth_Nelson_crédito_Ivan_Klingen

Na TV, a produtora também se destaca com as quatro temporadas de “#MeChamaDeBruna”, coproduzida pela Fox Premium e vendida para 13 países; as séries documentais “Eu Sou Assim”, indicada ao Emmy Internacional em 2018 e “Histórias de Adoção”, exibidas no GNT; além de diversos programas e filmes para canais como Canal Curta! Canal Brasil, Multishow, SBT, History Channel, A&E Entertainment, TV Cultura, dentre outros.  

Andança_Divulgação_ acervo Luana Carvalho

Em 2021, lançou o documentário “Boa Noite”, de Clarice Saliby, a coprodução do longa documental “Dois Tempos”, de Pablo Francischelli e o longa de ficção “Um Casal Inseparável” de Sergio Goldenberg que estreou no Canal Telecine. Em 2022, exibiu “Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho” no Festival do Rio, Mostra de São Paulo e Festival Aruanda, onde ganhou o prêmio de melhor filme pelo júri popular e “Fausto Fawcett na Cabeça”, que ganhou os prêmios de Melhor longa, melhor ator/personagem e Troféu Abracine. Também possui uma carteira ampla e heterogênea de projetos em desenvolvimento e em produção.

Andança_Divulgação_4

Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil – Coprodutoras     

A Globo Filmes, a GloboNews e o Canal Brasil assinam, juntos, a coprodução de diversos documentários, que transitam pelos mais diversos assuntos relacionados à cultura brasileira e que apresentam olhares únicos sobre personagens, épocas e fatos da nossa história. A parceria pretende fomentar a produção, a exibição e a divulgação de filmes do gênero, que ainda tem pouca visibilidade no mercado brasileiro, mas representa muito mais do que uma fonte de entretenimento: é essencial para a preservação da memória de uma nação.   

Andança_Divulgação_2

Juntos, Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil já investiram em mais de 40 documentários, entre eles “Libelu – Abaixo a Ditadura”, de Diógenes Muniz (vencedor do É Tudo Verdade de 2020); “Babenco – Alguém tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, de Bárbara Paz (premiado como melhor documentário sobre cinema da Venice Classics, mostra paralela do 76º Festival de Veneza em 2019); “Cine Marrocos”, de Ricardo Calil (vencedor do É Tudo Verdade 2019); “Barretão”, de Marcelo Santiago; “Henfil”, de Ângela Zoé (vencedor do Cine PE de 2018); “Menino 23”, de Belisário Franca (melhor doc do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2017); “Tá Rindo de Quê”, de Claudio Manoel, Álvaro Campos e Alê Braga; “Fevereiros”, de  Marcio Debellian; “Mussum – Um Filme do Cacildis”, de Susanna Lira; “Setenta”, de Emília Silveira (melhor doc da Mostra São Paulo de 2014). 

 

Andança_crédito_Ivan_Klingen
Marcações:
plugins premium WordPress