Pular para o conteúdo

Cultura à Milanesa

COMO FOI A LER – Salão Carioca do Livro, o Festival do Leitor, no Pier Mauá

O Píer Mauá sediou, de 9 a 15 de maio, a LER – Festival do Leitor. A educação e a diversidade foram as marcas dessa edição da Ler, onde as atividades conduziram todos ao universo da literatura. O evento recebeu cerca de 256 mil visitantes, famílias cariocas, estudantes e educadores e acaba de se tornar Patrimônio Imaterial do Estado do Rio. Ao todo, ocorreram mais de 750 atividades durante a semana de realização do evento. Dentre os mais de 1000 autores, ilustradores e artistas, foram convidados Valter Hugo Mãe, Rodrigo França, Zélia Duncan, Luiz Antônio Simas, Thalita Rebouças, Eduardo Bueno, Vilma Piedade, Lenine, Elisa Lucinda, Pedro Rhuas e Elayne Baeta.

As exposições tiveram destaque na LER: o público foi presenteado com as mostras de José Saramago e Clarice Lispector. Os trabalhos das comunidades também estiveram em destaque, com ênfase no livro Rocinha Sobre Lente de 4 jovens moradores, que retrata o dia a dia na favela. Nesta edição, além dos inúmeros palcos literários, música, teatro, e manifestações culturais, a LER inovou com atividades do universo Geek, com 3 espaços inteiramente dedicados ao mundo jovem.

Para além do Píer Mauá

A LER promoveu para sua abertura o maior encontro da língua portuguesa, um bate papo intitulado: “Conversas em nossa língua”, lotou os 1200 lugares da Grande Sala da Cidade das artes com os maiores nomes da literatura lusófona da atualidade: Marina Colasanti, Mia Couto, Valter Hugo Mãe, José Eduardo Agualusa e Ailton Krenak mediados pela jornalista Glória Maria.

 

O evento preparou também no último sábado no Maracanãzinho a conferência “Contando histórias para empoderar e humanizar”, com a renomada escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie mediada pela escritora e filósofa feminista Djamila Ribeiro, tendo como mestre de cerimônia a jornalista e ativista Luana Genot. Com público de 3000 pessoas, a conferência foi gratuita e teve as inscrições esgotadas em apenas 45 minutos.

No domingo, o Festival levou a escritora nigeriana para conhecer a Biblioteca Parque da Rocinha, ao lado do autor Otávio Junior que apresentou o seu projeto Invasão de Livros.

Os números da LER:

Mais de 400 profissionais envolvidos na produção

Mais de 1000 artistas, autores e ilustradores participando do evento

50 mil metros quadrados de área

750 programações

256 mil visitantes

“A LER foi criada para estimular a paixão pela leitura, desde a infância e traz ainda atrações interativas. Clássicos da literatura viram peças de teatro; músicos e circo encantam os leitores; exposições interativas misturam artes plásticas, audiovisual, moda e tecnologia. O festival faz questão de contemplar e integrar todos os estudantes, inclusive os do turno da noite, que pouco conseguem participar dos festivais por questões de horário. A LER é um grande encontro que reúne autores de todas as vozes, livrarias, editoras de todo o país, tecnologia e muito mais”, explica Jerônimo Vargas, diretor da LER.

Um pouco mais sobre a LER

Consolidada na cena literária, a LER é um evento criado para elevar a paixão pela leitura, desde a infância até a fase adulta. A LER reúne todos os agentes da cadeia produtiva do livro no universo da Economia Criativa e fortalece a troca de conhecimentos. Ao longo de sete dias, estiveram reunidos autores de todas as vozes, acompanhados de livrarias, editoras, tecnologia, música e leitores, num ambiente acolhedor, estimulante e, sobretudo, aberto. O Festival do Leitor enfatiza as questões da cultura, da leitura, da educação e do contato com autores. Com uma intensa programação, o público teve acesso a oficinas, conversas, saraus, contação de histórias, intervenções poéticas, peças teatrais, exposições, homenagens e bate-papos com autores renomados, espalhados pelos 50.000 m² de área ocupada no Píer Mauá. Entre os destaques da LER o espaço STEAM que apresentou a inserção da tecnologia na educação, com atividades, oficinas, palestras nacionais e internacionais.

Dos quadrinhos à poesia, dos manuscritos aos digitais, dos clássicos às publicações de vanguarda, a 4ª edição da LER contou com mais de 800 autores, artistas e apresentações nestes 4 dias de evento.

A LER é apresentada pelo Ministério do Turismo, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura. Tem patrocínio da Ternium, Eletrobras, Atacadão, Klabin, Estácio e Norsul, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, Fresenius Medical Care, Pestana, Bondinho Pão de Açúcar, Globo e Trem do Corcovado, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. Apoio do Nespe, Editora Imã e FUNARJ – Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro. Parceria Institucional do Sesc RJ. Realização da Ler Cultural, Base Eventos e Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Confira as imagens:  
plugins premium WordPress