Pular para o conteúdo

Cultura à Milanesa

Taís Araujo será Nossa Senhora em “O Auto da Compadecida 2″ 

Taís Araujo será a Compadecida em “O Auto da Compadecida 2”, continuação do clássico que marcou o cinema brasileiro. A atriz recebe o manto sagrado de Fernanda Montenegro, que interpretou a icônica personagem no primeiro filme e, por incompatibilidade de agenda, não irá repetir o papel. Dirigido por Guel Arraes e Flávia Lacerda, produção da Conspiração e H2O Produções, com distribuição da H2O Films, e roteiro de Guel Arraes, Adriana Falcão e João Falcão, “O Auto da Compadecida 2” tem estreia prevista para o final do ano que vem nos cinemas de todo o Brasil.

“Nós falamos tanto que ninguém é insubstituível, mas Fernanda Montenegro é. Graças a Deus temos muitas ‘Nossas Senhoras’, e interpretar essa nova versão da Compadecida será certamente uma celebração a elas. Fico muito emocionada de fazer essa personagem porque, mesmo não tendo religião, sigo Jesus Cristo, Nossa Senhora e todos os santos. É muito emocionante mergulhar nesse lugar da fé, da bondade, da caridade”, comenta a atriz.

Selton Mello e Matheus Nachtergaele também estão confirmados no elenco como os amigos Chicó e João Grilo. A comédia dramática narra as aventuras dessa dupla que vive de enganar o povo do vilarejo onde mora. “O Auto da Compadecida” e sua continuação refletem a celebração da cultura brasileira e colocam o cinema como espelho de um país plural e mágico em sua força criativa. 

Veja o anúncio de Selton Mello e Matheus Nachtergaele:

 

“Sou fã da linguagem de comédia do Guel e da forma com que ele traz a brasilidade no trabalho que faz. Além de toda essa bondade, a Compadecida tem um humor superinteligente”, conta a atriz, celebrando o reencontro com o diretor neste novo projeto.

 

Taís e Flávia Lacerda já trabalharam juntas algumas vezes, em filmes, séries e novelas, mas esta é apenas a segunda vez que a atriz será dirigida por Guel. Como um dos idealizadores de “Mister Brau”, Guel dirigiu uma das cenas de Taís quando ela interpretava Michele na série.

 

“É preciso ter muita disposição física para ser dirigida pelo Guel, porque ele exige muito do ator, mas a cada cena a gente sai melhor que antes. A comédia é um ambiente que eu gosto de flertar porque é muito mais difícil do que fazer drama”, analisa, com entusiasmo.

 

Taís gravou um depoimento especial falando como foi o convite e sua expectativa para interpretar a Compadecida. Assista no link a seguir:
[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=yjPrYzwg6EQ[/embedyt]

Estreia: 2024 

FICHA TÉCNICA   

Direção: Guel Arraes e Flávia Lacerda

Roteiro: Guel Arraes, Adriana Falcão e João Falcão 

Produção: Conspiração e H2O Films

Distribuição: H2O Films

 

Elenco principal 

Matheus Nachtergaele (João Grilo)

Selton Mello (Chicó)

Taís Araujo (Compadecida)

 

GUEL ARRAES| Diretor 

Cineasta e diretor da TV Globo, responsável por programas como TV Pirata, Programa legal e Comédia da vida privada, seu primeiro longa-metragem para cinema na realidade foi uma versão condensada da minissérie que dirigiu para a TV, inspirada na peça de Ariano Suassuna, “O Auto da Compadecida” (2000). O filme se tornou o campeão de bilheteria do ano, com mais de dois milhões de espectadores, e lhe rendeu o prêmio de melhor diretor no Grande Prêmio Cinema Brasil. Nascido em 1953, filho do político Miguel Arraes, viveu exilado com sua família na Argélia. Começou sua carreira em Paris, no Comitê do Filme Etnográfico dirigido por Jean Rouch, considerado um mestre do cinema-verdade. Dirigiu documentários de curta-metragem em super-8 e também o média “Barbes Palace” (1979), em parceria com Ricardo Lua. Também dirigiu peças de teatro, e uma de suas montagens se transformou em seu terceiro longa-metragem, “Lisbela e o prisioneiro” (2003), adaptação do texto de Osman Lins. Desde então, concilia sua atuação como diretor de TV com a de cineasta.

 

FLÁVIA LACERDA | Diretora 

Flávia Lacerda é pernambucana, nascida em Recife. Formada em Cinema e Etnologia pelas universidades de Paris 8 e Paris 7, na França. Mora no Rio desde 1998, quando fez assistência de direção no seu primeiro trabalho na Globo: “O Auto da Compadecida”. Em 20 anos de profissão, às vezes escreveu, às vezes dirigiu ou codirigiu séries, novelas e especiais, entre eles: “Sexo Frágil”, “O Programa Novo”, “Belíssima”, “Negócio da China”, “Natal do Pequeno Imperador”, “Dó-Ré-Mi- Fábrica”, “Tudo Novo de Novo”, “Clandestinos”, “Insensato Coração”, “Louco Por Elas”, “Amor Te Amo”, “Chapa Quente”, “Mister Brau”, “A Fórmula”. No cinema, recentemente codirigiu o “Grande Sertão Veredas” e deu consultoria de direção para “Medida Provisória”, “O Debate” e “Beleza da Noite”.

 

SELTON MELLO | Chicó 

O ator e diretor Selton Mello está comemorando 40 anos de carreira. Ao longo desses anos conquistou o público, a crítica e premiações ao redor do mundo com trabalhos memoráveis como: “O Auto da Compadecida”, “Meu Nome Não é Johnny”, “Lavoura Arcaica”, “Lisbela e o Prisioneiro” e “O Cheiro do Ralo”. Realizou três filmes como cineasta, com destaque para “O Palhaço”, um enorme sucesso de bilheteria, premiado em mais de 50 Festivais Nacionais e Internacionais, sendo também o filme representante do Brasil ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2013. Selton também é diretor e ator da aclamada série “Sessão de Terapia”, que conta com cinco temporadas disponíveis no Globoplay.

plugins premium WordPress