Pular para o conteúdo

Cultura à Milanesa

VENCEDOR DE GRAMADO, NOITES ALIENÍGENAS ESTREIA NOS CINEMAS EM 30 DE MARÇO

Em sua estreia mundial no Festival de Gramado, NOITES ALIENÍGENAS, de Sérgio de Carvalho, fez história. O filme se tornou o primeiro longa do Acre a ser premiado no evento, levando os Kikitos de Melhor Filme, Ator (Gabriel Knoxx), Atriz Coadjuvante (Joana Gatis), Ator Coadjuvante (Chico Diaz), Menção Honrosa ao ator Adanilo Reis, e o prêmio do Júri da Crítica. Com produção da Saci Filmes, NOITES ALIENÍGENAS chega aos cinemas em 30 de março com distribuição da Vitrine Filmes. No Acre, o longa será lançado uma semana antes, no dia 23 de março.

O roteiro, assinado por Carvalho, Camilo Cavalcante e Rodolfo Minari, parte de um livro homônimo escrito pelo diretor. Mas, como ele mesmo deixa claro, livro e filme são coisas distintas. “A gente fez uma adaptação da linguagem literária para a linguagem cinematográfica em um outro ponto que é importante também colocar, porque tanto o livro quanto o filme fala de uma periferia amazônica.”

O filme retrata o lado urbano da cidade de Rio Branco, trazendo personagens cujas vidas são marcadas pela mudança da rota do tráfico que começa a passar pela região. “Hoje essas organizações criminosas são muito presentes. A gente sentiu que isso também era importante. Era importante trazer para o presente e para o contemporâneo o roteiro, que, em cinco anos, entre o livro e o filme, mudou radicalmente. Ali é o cenário que a história se passa.”

foto Ramon Aquim.

Fazer o primeiro longa na região foi um desafio para Carvalho. O diretor nasceu no Rio, mas foi radicado no Acre, onde fundou sua produtora, a Saci Filmes. “Tivemos de encontrar um modelo de produção com profissionais muito profissionais de todo o Brasil, mas que fosse adequado para o tamanho de orçamento que a gente tinha.

Noites_Alienigenas_Select-5

O cineasta também destaca que, ao situar a trama numa Amazônia urbana, o filme apresenta um lado da região pouco mostrado no cinema. “A gente conhece tão pouco e fala tão pouco dessa Amazônia urbana que também é completamente ligada à Amazônia das florestas, e que tem uma riqueza de culturas muito grande.”

Uma das questões centrais em NOITES ALIENÍGENAS é a identidade brasileira. “É uma grande pauta que o Brasil vive hoje, de reafirmação de suas culturas originárias, de seus povos tradicionais. E o filme também trata essa questão da negação da identidade por meio do personagem do Paulo. Então, acho que o Brasil é o maior dos alienígenas. Ele acaba sendo o reflexo dessa sociedade brasileira em plena transformação.”

Frame_NA_Gleici_01

NOITES ALIENÍGENAS será distribuído pela Vitrine Filmes.

Sinopse

NOITES ALIENÍGENAS aborda o confronto entre cidade e floresta. Onde as duas se encontram, se confundem e se distanciam. O filme fala de resistência, esperança e juventude com um toque de realismo mágico ao abordar o universo da cultura periférica de Rio Branco, cidade amazônica.

Noites_Alienigenas_Select-6

Ficha Técnica

Direção: Sérgio de Carvalho

Produção: Saci Filmes

Coprodução: Com Domínio Filmes

Produtores: Karla Martins, Pedro von Krüger e Sérgio de Carvalho

Roteiristas: Camilo Cavalcante, Rodolfo Minari e Sérgio de Carvalho

Produtora Executiva: Karla Martins

Elenco: Gabriel Knoxx, Adanilo, Gleici Damasceno, Chico Diaz, Joana Gatis, Chica Arara, Bimi Huni Kuin, Duace,

Diretor de Fotografia e Câmera: Pedro von Krüger, ABC

Montador: André Sampaio

Diretor de Arte: Alonso Pafyeze

Figurinistas: Mariana Braga, Maria Esther de Albuquerque

Som Direto: Pedro Sá Earp

Diretor de Produção: Clemilson Farias

Produção: Saci Filmes

Coprodução: Com Domínio Filmes

SOBRE SÉRGIO CARVALHO

Sérgio de Carvalho é formado em Cinema pela Universidade Estácio de Sá, no RJ. Após se formar, mudou-se para o Estado do Acre, na amazônia brasileira, onde criou a produtora de audiovisual Saci Filmes.

Na direção assina as séries de TV:  “Nokun Txai – Nossos Txais”, sobre os povos indígenas do Acre, “O Olhar Que Vem de Dentro”, sobre religiões brasileiras a partir do ponto de vista infantil e “Alimentando a Alma”, sobre culinária e espiritualidade; também o longa documentário “Empate”, sobre os companheiros do líder seringueiro Chico Mendes, o longa metragem “Noites Alienígenas” e o curta em animação “Awara Nane Putane – Uma História do Cipó”, que aborda um mito de criação da cultura yawanawa.

Também, é idealizador e diretor artístico do Festival Internacional Pachamama – Cinema de Fronteira, desde 2010, além de curador  e produtor do festival “People of the Rain Forest”, que acontece em Amsterdam, Holanda, que nasceu em 2021.

Produziu o longa metragem documentário “Bimi, Shu Ikaya”, dirigido por Isaka e Gilson Huni Kuin, que circulou em diversos festivais pelo mundo e ganhou o prêmio de melhor filme no Fórum Doc, de Belo Horizonte e no Festival do Cinema Livre, em Brasília.

É autor do livro de contos “Outros Morangos” e de ficção “Noites Alienígenas”, que inspirou o longa metragem homônimo, vencedor do concurso Garibaldi Brasil de Literatura de 2010, da prefeitura de Rio Branco, por meio da Fundação Garibaldi Brasil.

SACI FILMES

Saci Filmes é uma produtora amazônica de audiovisual, focada na produção de conteúdo para cinema, internet, streamings e televisão. Também, na  realização de projetos culturais, como eventos e de formação.

Entre seus principais projetos, destacam-se a realização do “Festival Internacional Pachamama – Cinema de Fronteira”, desde 2010, as séries “Nokun Txai – Nossos Txais” ,  “O olhar que vem de Dentro” e “Alimentando a Alma”.

Ainda, os documentários “Empate”, dirigido por Sérgio Carvalho e “Bimi Shu Ykaya”, dirigido por Isaka, Siã e Yube Huni Kuin e a animação “Juvenal e Oliver”, dirigida por Italo Rocha e Marcelo Zuza.

Em 2021, a Saci finalizou seu primeiro longa-metragem de ficção, o “Noites Alienígenas”, dirigido por Sérgio de Carvalho.

COM DOMÍNIO FILMES

A Com Domínio é uma produtora audiovisual onde projetos e profissionais se encontram. Trabalhamos da ideia à projeção, desenvolvendo desde a pesquisa até a pós-produção. Elaboramos projetos próprios e abraçamos projetos de clientes e parceiros, como agências, marcas, canais de TV, instituições, pessoas e outras produtoras. Nossos profissionais têm o domínio das ferramentas e linguagens do audiovisual, com atuação em grandes projetos de cinema, publicidade e televisão.

VITRINE FILMES

A Vitrine Filmes, desde 2010, já distribuiu mais de 200 filmes e alcançou milhares de espectadores apenas nos cinemas do Brasil. Entre seus maiores sucessos estão “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2019; “O Processo”, de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional; e “Druk – Mais Uma Rodada”, de Thomas Vinterberg, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2021.

Em 2020, a Vitrine Filmes iniciou um novo ciclo de expansão e renovação. Entre as iniciativas, o lançamento da Vitrine España, que produz e distribui longas metragens na Europa; o Vitrine Lab, curso online sobre distribuição cinematográfica, vencedor do prêmio de distribuição inovadora do Gotebörg Film Fund 2021; a Vitrine Produções, para o desenvolvimento e produção de títulos brasileiros; e, em 2022, a criação do selo Manequim, focado na distribuição de filmes com apelo a um público mais amplo.

Na produção, o primeiro lançamento, “Amigo Secreto” (DocLisboa 2022), de Maria Augusta Ramos, que teve mais de 15 mil espectadores no Brasil; o romance adolescente “Jogada Ensaiada”, de Mayara Aguiar, em desenvolvimento; “O Nosso Pai”, curta de Anna Muylaert exibido no Festival de Brasília; e “Caigan Las Rosas Blancas” (White Roses, Fall!), de Albertina Carri, a continuação de “Las Hijas del Fuego”, distribuído pela Vitrine Filmes em 2019.

Em 2023, a Vitrine Filmes apresenta ainda mais novidades para a produção e distribuição audiovisual. Entre as estreias, estão confirmados para os próximos meses a animação “Perlimps”, de Alê Abreu; “Bem-vinda, Violeta!”, de Fernando Fraiha; e o vencedor do Festival de Gramado, “Noites Alienígenas”, de Sérgio de Carvalho.

Já a Sessão Vitrine, projeto inovador de formação de público e distribuição coletiva de produções e coproduções brasileiras em salas de cinema comerciais, terá, em 2023, o patrocínio do PROAC. O filme “Mato Seco em Chamas”, de Adirley Queirós e Joana Pimenta, exibido no Festival de Berlim e premiado no Festival do Rio e no Festival de Brasília, abrirá esta edição, que terá também “Medusa”, de Anita Rocha da Silveira, exibido na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes e premiado no Festival do Rio; “Canção ao Longe”, de Clarissa Campolina; e “Rio Doce”, de Fellipe Fernandes.

plugins premium WordPress