Pular para o conteúdo

Cultura à Milanesa

Filme “A Porta ao Lado” entra amanhã na grade do Globoplay 


Estrelado por Letícia Colin, Bárbara Paz, Dan Ferreira e Túlio Starling, longa propõe o debate sobre diferentes formas de se relacionar
 .

Depois de marcar presença nos principais festivais de cinema do Brasil e estrear nos cinemas no ano passado, ficando sete semanas em cartaz, “A Porta ao Lado”, oitavo filme da diretora Julia Rezende, entra na programação do Globoplay neste sábado, dia 13 de abril. Produzido por Mariza Leão e Tiago Rezende, da Morena Filmes, em coprodução com a Film2B e o Telecine, e com distribuição da Manequim Filmes, o longa-metragem é estrelado por Letícia Colin (indicada ao Emmy), Bárbara Paz, Dan Ferreira e Túlio Starling e conta com as participações especiais de Louise Cardoso e Dani Ornellas. 

Sob a perspectiva feminina, o longa aborda os limites dos relacionamentos amorosos, levantando questões sobre fidelidade, traição, amor e paixão, a partir do encontro dos casais Rafa (Dan Ferreira) e Mari (Letícia Colin), que vive um casamento monogâmico e estável, e Fred (Túlio Starling) e Isis (Bárbara Paz), que mantém uma relação aberta. A proximidade com os novos vizinhos desperta em Mari uma série de desejos e dúvidas, e o encontro dos quatro faz com que todos repensem suas escolhas. 

Assista ao trailer

Sinopse 

O longa conta a história de Rafa (Dan Ferreira) e Mari (Letícia Colin) que são casados e vivem um relacionamento tradicional, estável, sem altos e baixos. Juntos desde os 25 anos, acompanharam as angústias da chegada aos 30 e se apoiaram para enfrentar os medos e responsabilidades desta etapa da vida. O casamento segue tranquilo até o dia em que se muda para o apartamento ao lado o casal Fred (Túlio Starling) e Isis (Bárbara Paz). Os novos vizinhos vivem um relacionamento aberto, separam sexo de amor e decidiram não ter filhos. Esta forma de se relacionar desafia e provoca Mari, que começa a questionar o seu casamento. O encontro dos dois casais irá provocar desejos, dúvidas, inseguranças, mentiras e transformações nos quatro personagens, fazendo com que cada um reavalie suas escolhas.

FICHA TÉCNICA  

Direção: Julia Rezende  

Roteiro: Patricia Corso, L.G. Bayão e colaboração de Leonardo Moreira  

Produção: Morena Filmes   

Coprodução: Film2B e Telecine  

Distribuição: Manequim Filmes  

Fotografia: Dante Belluti, Nonato Estrela, abc          

Montagem: Maria Rezende, EDT.            

Trilha Sonora Original: Berna Ceppas        

Direção de Arte: Marghê Pennacchi  

Figurino: Mel Akerman          

Maquiagem: Martin Macias Trujillo        

Produção Executiva: Cacala Carvana e Samantha Queiroz            

Coprodutora: Kiki Lavigne           

Produtora Associada: Ana Luiza Beraba           

Som Direto: Felipe Machado           

Edição de Som: Tomás Alem e Bernardo Uzeda           

Mixagem: Rodrigo Noronha          

Produção de Elenco: Marcela Altberg         

Produção de Finalização: Thiago Pimentel  

Produtores: Mariza Leão e Tiago Rezende  

BRDE, FSA e Ancine  

Elenco principal 

Letícia Colin  

Bárbara Paz  

Dan Ferreira  

Túlio Starling  

Participação especial 

Louise Cardoso 

Dani Ornellas  

JULIA REZENDE | Diretora 

Julia Rezende estreou na direção de longas-metragens em 2013 com “Meu Passado Me Condena”, comédia romântica estrelada por Fabio Porchat e Miá Mello, que levou 3,2 milhões de espectadores aos cinemas. Em 2015, lançou “Ponte Aérea”, com Caio Blat e Letícia Colin e “Meu Passado Me Condena 2″. No ano seguinte lançou “Um Namorado Para Minha Mulher”, adaptação do filme argentino de mesmo nome, com Ingrid Guimarães, Caco Ciocler e Domingos Montagner. Em 2017 levou aos cinemas a adaptação da peça “Como É Cruel Viver Assim”, de Fernando Ceylão. Em 2019 foi a vez de “De Pernas Pro Ar 3” e em 2021 lançou o longa “Depois A Louca Sou Eu”, comédia dramática protagonizada por Debora Falabella, baseada no livro de Tati Bernardi. Dirigiu ainda cinco episódios nas duas temporadas da série “Coisa Mais Linda”, para a Netflix. Em 2023 lançou a série “Todo Dia A Mesma Noite”, sobre o incêndio da Boate Kiss, na Netflix. Seus filmes já levaram mais de 8 milhões de espectadores aos cinemas. 

LETÍCIA COLIN | Mari 

Com 32 anos de idade e mais de 20 de carreira, Letícia Colin coloca em suas personagens seu espírito vibrante, carisma e talento tornando-as inesquecíveis. Foi assim com a princesa Leopoldina em “Novo Mundo”, com a baiana Rosa de “Segundo Sol” e com a Marylin de “Cine Holliúdy”, todos na TV Globo. 

Letícia protagonizou os longas-metragens “Ponte Aérea”, “Os Saltimbancos Trapalhões” e “Bonitinha, mas Ordinária”. Na cena do teatro musical já foi a Beatriz de “O Grande Circo Místico”, Rosemary de “Como Vencer na Vida sem Fazer Força”, Jeannie de “Hair”, entre outros. 

Em 2021 Letícia protagonizou a série de sucesso “Onde está meu coração”, pelo Globoplay, na qual interpreta uma médica adicta ao crack, atuação que lhe rendeu o prêmio APCA de 2021 em Televisão, de melhor atriz e à indicação ao Emmy Internacional 2022 na categoria de Melhor Atriz. 

Atualmente Letícia está no elenco de “Todas as Flores”, Original do Globoplay, de autoria de João Emanuel Carneiro, como uma das protagonistas, a vilã Vanessa! Ela também aguarda o lançamento do filme “A Porta ao Lado”, de Julia Rezende, que estreia em 9 de março. 

BÁRBARA PAZ | Isis 

Bárbara Paz é atriz, diretora e produtora. Brasileira, se formou pela Escola de Teatro Macunaíma e pelo Centro de Pesquisa Teatral CPT, de Antunes Filho, e atualmente faz parte do grupo TAPA. No teatro, trabalhou em mais de 25 peças, protagonizando espetáculos de Oscar Wilde a Tennessee Williams. Em 2013, pela sua trajetória como atriz, recebeu do Ministério da Cultura a Medalha Cavaleiro 2013, Honra ao Mérito Cultural do Ministério da Cultura. Bárbara também é contratada da TV Globo, onde participou de diversas séries e novelas. 

Apresenta o programa “A Arte do Encontro”, no Canal Brasil, onde conversa com grandes nomes do cenário artístico brasileiro. No cinema, como atriz, participou de vários longas e curtas-metragens incluindo “Meu amigo Hindu”, último filme de Hector Babenco, ao lado de Willem Dafoe.  

Como diretora adentrou o universo dos curtas-metragens, produzindo e dirigindo programas e filmes. O documentário “Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou” é seu primeiro longa-metragem que teve sua estreia no grande Festival Internacional de Veneza, ganhando o prêmio de Melhor Documentário Venice Classics 2019. A partir da sua estreia, o filme viajou o mundo por vários festivais recebendo inúmeros prêmios na China, na Índia e no Chile, além de quatro prêmios no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2021, incluindo Melhor Documentário e Melhor Primeira Direção, além de ter sido indicado para representar o Brasil como Melhor Filme Internacional no Oscar (93rd Academy Awards). 

Em 2018, publicou o livro “Mr. Babenco – Solilóquio a Dois Sem Um”, com memórias e poemas de Hector Babenco. Durante os dois anos de pandemia e isolamento social, criou um diário visual da sua solidão, com videoartes e um monólogo on-line a partir. do texto de Peter Handke, “Insulto ao público”. Dirigiu um curta-metragem sobre a solidão chamado “Ato”, filmado em Ouro Preto, durante a pandemia, que estreou no ano seguinte, em 2021, e depois, no Festival Internacional de Veneza. 

DAN FERREIRA | Rafa 

Dan Ferreira é um artista brasileiro que se destaca como ator por seus trabalhos na tv e cinema, como na novela “Amor de Mãe” (2019) e nos filmes “Pixinguinha, Um Homem Carinhoso” (2021), como o Maestro Pixinguinha em sua fase jovem e “Meu Nome É Gal”, onde interpreta Gilberto Gil (inédito). Em 2023, Dan estreia no longa-metragem “A Porta ao Lado”, dirigido por Julia Rezende, e apresenta mais uma vertente de seu trabalho, como compositor no lançamento de SATURNO, música single que anuncia seu primeiro disco “ILÁ”. Trazendo o rap como gênero principal por sua poética, o artista mostra no single e em seu álbum além de influências globais ritmos afrobrasileiros, como samba e samba reggae. 

TÚLIO STARLING | Fred 

Começou a estudar teatro em 2003, aos 13 anos de idade, em Belo Horizonte. É bacharel em artes cênicas pela Universidade de Brasília desde 2015. Desde 2005, trabalhou por 12 anos com diversos criadores teatrais e cineastas do Distrito Federal onde cofundou a Agrupação Teatral Amacaca (ATA) liderada por Hugo Rodas, grande encenador do teatro brasileiro. Alguns trabalhos desse período são as peças “Wergba” (2006), de Similião Aurélio; “Cosme trepado” (2010), de James Fensterseifer; “Ensaio Geral” (2012), de Hugo Rodas e ATA; e “Desbunde” (2015), de Juliana Drummond e Abaetê Queiroz, com a qual foi premiado na categoria de melhor ator do Prêmio Sesc do Teatro Candango. No curta “A noite por testemunha” (2009), de Bruno Torres, é parte do elenco premiado com o Troféu Candango de melhor ator em curta-metragem 35mm no 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. 

Desde 2017 o ator integra o Teatro Oficina Uzyna Uzona, a companhia teatral mais longeva do país, com quase 65 anos de existência. Nessa companhia, atuou nas peças “Bacantes” (2017), “Macumba Antropófaga” (2017), “O Rei da Vela” (2017-2018) e “Roda Viva” (2018-2020), dirigidas por Zé Celso Martinez Corrêa, e em “Mutação da Apoteose” (2023), com direção de Camila Mota e dramaturgia de Cafira Zoé. 

Na TV aberta, participou da primeira fase da novela, produzida pela TV Globo, “Pantanal” (2022), de Benedito Ruy Barbosa e Bruno Luperi, com direção de Rogério Gomes e Gustavo Fernandez, indicada ao Emmy Internacional de Melhor Novela. Atualmente, é um dos protagonistas da próxima novela das seis, “No Rancho Fundo”, de Mário Teixeira, que estreia em abril de 2024, com direção de Allan Fiterman. 

Nos cinemas, estreou em longas-metragens com “Faroeste caboclo” (2013), de René Sampaio, protagonizou o filme “Campus Santo” (2015), de Márcio Curi, e se destaca em “Anna” (2019), de Heitor Dhalia, lançado no 21º Festival de Cinema do Rio. Também está em “A Porta ao Lado”, de Julia Rezende, e em “O pastor e o guerrilheiro”, de José Eduardo Belmonte, ambos lançados em 2022 no 50º Festival de Cinema de Gramado, com passagens também pelo 24º Festival de Cinema do Rio e pela 46º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e lançados em circuito comercial em março de 2023. 

O curta “Água doce”, de Antonio Miano, que também tem Jesuíta Barbosa e Danielli Mendes no elenco, está em circulação pelos festivais de cinema, tendo sido selecionado para Oslo Fusion International Film Festival (Noruega), para o Linz International Short Film Festival (Áustria), para o Melbourne Queer Film Festival (Austrália), para o 30º Festival de Cinema de Vitória e o 31º Festival Mix Brasil, e para o 21º Filmfest Düsseldorf (Alemanha). Já o longa “Uma Boa Vilã”, de Teo Poppovic, tem estreia prevista para 2024. 

No streaming, além das séries “Feras” (2019), de Teo Poppovic e Felipe Sant’ângelo, e “Hit Parede”, de André Barcinski e dirigida por Marcelo Caetano (ambas no catálogo do Globoplay), estreou, em julho de 2023, na mesma plataforma, a série “Vicky e a musa”, de Rosane Svartman, cuja segunda temporada foi lançada recentemente, em janeiro de 2024. Pela plataforma Star+ estreou em maio do mesmo ano a série “Dois tempos”, dirigida por Vera Egito. Para abril de 2024 já está prevista a estreia, também pelo Globoplay, de “Justiça 2”, de Manuela Dias com direção de Gustavo Fernandez. E ainda neste ano estreia a segunda temporada de “Lama dos Dias”, série sobre o movimento Manguebeat criada por Hilton Lacerda para o Canal Brasil. 

  

MORENA FILMES | Produtora 

Com sede no Rio de Janeiro, 47 anos de história e 35 longas na bagagem, a Morena Filmes – fundada por Mariza Leão e Sergio Rezende, tem atualmente o reforço de Tiago Rezende como produtor associado da produtora.  Suas obras se destacam tanto na produção de cinema, Tv e streaming, dos mais variados gêneros: dramas, comédias, romances e épicos históricos. De grandes produções a filmes autorais, de blockbusters a obras intimistas, o foco sempre foi o mesmo: levar para a tela do cinema histórias que tenham relevância e mobilizem tanto o público quanto a crítica especializada.  

  

MANEQUIM FILMES | Distribuidora 

A Manequim é o novo selo da Vitrine Filmes para a distribuição de filmes comerciais com um perfil de público mais amplo. O line-up conta com os lançamentos: “Alemão 2”; “Nosso Sonho”, cinebiografia de Claudinho e Buchecha; “O Meu Sangue Ferve por Você”, cinebiografia de Sidney Magal; “Tromba Trem”, animação do mesmo estúdio de “Irmão do Jorel” e muito mais.  

  

Criada em 2010, a Vitrine Filmes é uma distribuidora independente com mais de dez anos de atuação no mercado audiovisual brasileiro. Nessa primeira década de vida, a Vitrine cresceu e se renovou, acumulando um catálogo de mais de 190 lançamentos e alcançou milhares de espectadores nas salas de cinema, se afirmando no cenário audiovisual do país como uma das principais promotoras da circulação de produções independentes e autorais. Em 2022, o mais novo selo de distribuição, a Manequim Filmes, foi lançado, seguindo com a qualidade em curadoria e abrangendo um perfil mais comercial. Além disso, a Vitrine segue atuando de forma direta na produção. 

plugins premium WordPress